Aves em Extinção

A rápida degradação dos habitats naturais, com o desmatamento e as ocupações irregulares nas áreas de mananciais, está ameaçando várias espécies. Somado a isso, o avanço populacional em áreas próximas às matas, a falta de Educação Ambiental e de fiscalização permitem o aumento da incidência de caça, captura e comércio ilegal.

Constatamos que Embu das Artes é área de nidificação e alimento para diversas aves. Algumas delas estão na lista de aves em extinção do Atlas Ambiental do Estado de São Paulo (http://atlasambiental.prefeitura.sp.gov.br) e precisam ser preservadas:

A Araponga (Procnias nudicollis), ave branca belíssima com garganta e faces verde metálico, é muito procurada para cantar em gaiolas nas casas das pessoas. Cada vez mais rara de ser ouvida em ambiente natural, a Araponga costuma emitir seu canto sempre de um mesmo local, denunciando sua prisão. Está ameaçada de extinção no Estado de São Paulo, na categoria vulnerável, devido ao desmatamento de seu habitat natural, a Mata Atlântica, e pelo aprisionamento em gaiolas.

   

O Pavão-do-mato (Pyroderus scutatus), ave preta, com peito vermelho alaranjado, que em geral se alimenta dos mesmos frutos que os tucanos. É considerado grande disseminador de sementes, inclusive do Palmito juçara, também escasso em nossas matas, devido à extração irregular e criminosa para a produção e comercialização do palmito.

O Jacuguaçu (Penolope obscura), ave grande do tamanho de uma galinha. Conseguimos acompanhar a nidificação e o nascimento de dois filhotes de Jacu, fato raro de se ver, pois esta espécie esconde muito os filhotes. Segundo o Atlas Ambiental de São Paulo, essa espécie está na categoria de provavelmente ameaçada de extinção.

O Gavião-pega-macaco (Spizaetus tyrannus), também em vias de extinção, alimenta-se de pequenos mamíferos, inclusive macacos, daí vindo seu nome. O fato de ser avistado nesta região indica que temos ainda uma mata de boa qualidade.